Biodigestores: exemplos em solo gaúcho mostram produção crescente com sustentabilidade

8 meses atrás
141 Views

Audiência pública para tratar dos benefícios econômicos e ambientais gerados com os biodigestores, promovida pela Frente Parlamentar da Matriz Produtiva dos Biodigestores através da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa Gaúcha e apoio do Comitê Gestor da Bacia Hidrográfica dos rios Apauê e Inhandava, realizada na manhã desta segunda-feira, de forma virtual, reuniu mais de 90 pessoas entre secretárias de estado, secretarias municipais de agricultura, instituições financeiras, de ensino e de pesquisa, além de deputados estaduais e vereadores gaúchos.

Proposição da deputada Zilá Breitenbach (PSDB), presidente da Frente e que desde 2017 coordena o trabalho para viabilizar políticas públicas na área, e que já conseguiu além da aprovação do Marcos Legal do Biogás com que entidades financeiras gaúchas abrissem linhas de crédito para a instalação de biodigestores, a reunião apresentou cases de sucesso no uso da tecnologia no RS.

“Hoje o biogás representa menos de 0,1% da Matriz energética brasileira. O país deixa de aproveitar cerca de 47 bilhões de metros cúbicos de biogás por ano, segundo dados da Abiogás. Um potencial que poderia suprir aproximadamente 34% das demandas de energia elétrica do país”, enfatiza a deputada Zilá ao falar sobre os benefícios gerados com os biodigestores, que além de retorno econômico tem um ganho inestimável para o meio ambiente.

O secretário de Meio Ambiente do RS, Luiz Henrique Viana, presente na reunião, após participar de várias audiências da Frente e também receber visitas de empreendedores e produtores rurais que desejam investir em Biodigestores, afirmou a todos que assim como a deputada Zilá, espera poder contemplar no Avançar Sustentabilidade um programa para incentivar a instalação da tecnologia no estado.

CASES APRESENTADOS

Entre os exemplos apresentados, o da Fazenda Trevisan do interior de Farroupilha, que contempla 3 biodigestores, que com os dejetos dos 850 animais, gera em torno de 2 mil metros cúbicos de biogás por semana, que resultam em 8 megawatts-hora (MWh). Isso é suficiente para abastecer cerca de 25% da propriedade, que inclui também uma fábrica de envase de leite tipo A. Desta maneira, a economia mensal na conta de luz chega a R$ 20.000 mil. Conforme Jean, a família optou pelo Biodigestor Canadense pela facilidade de montagem do equipamento e também do manejo.
“Além da preocupação com a destinação correta dos dejetos e o meio ambiente, vimos nos Biodigestores a solução para termos energia 24h por dia durante os 7 dias da semana, o que no nosso trabalho é primordial”, explica Jean.

Produtores rurais de Santo Cristo, Seberi e Charrua, também falaram sobre suas experiências com os biodigestores, tanto quanto os benefícios já gerados quanto da dificuldade de encontrar linhas de crédito e apoio para colocar os projetos em prática.

ALTERNATIVA PARA CONTER CRISE AMBIENTAL
Durante a audiência, várias entidades, assim como o presidente do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica dos Rios Apauê-Inhandava, Ruelinton Zambon Sartori, frisaram sobre a importância dos biodigestores para a preservação da água e para conter a crise ambiental.
Entre os encaminhamentos do evento, todos solicitaram que a deputada continue com as audiências públicas para motivar o debate em torno da tecnologia e mostrar a necessidade se investimentos, para termos além de energia limpa de qualidade, biofertilizantes e todo um ganho econômico e ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *