BIODIGESTORES – Comitiva do RS visita projetos no Paraná

2 meses atrás
280 Views

A Deputada Estadual Zilá Breitenbach, presidente da Frente Parlamentar da Matriz Produtiva dos Biodigestores da AL RS, esteve no estado do Paraná na última semana conhecendo projetos ligados à geração de biogás. Zilá esteve acompanhada de uma comitiva do município de Harmonia, que busca ampliar os conhecimentos sobre este sistema de geração de energia renovável. O Prefeito municipal Lico Fink, o Secretário de Agricultura, Leozildo Lira, e o Vereador Lídio Spohr acompanharam as visitas nos municípios de Toledo e Entre Rios do Oeste.


Em TOLEDO, parceria privada faz recolhimento de resíduos nas propriedades

A primeira parada foi na cidade de Toledo, na BGA KÖHLER, que contou com a apresentação da empresa alemã MELE Biogás GmbH. Toledo é responsável pela produção de 51% dos suínos do Oeste do Paraná, que também é responsável por 20% do abate de aves no Brasil.

No biodigestor implementado neste projeto são utilizados dejetos de suínos, bovinos e aves. É um projeto em parceria cujo os dejetos utilizados no processo são recolhidos por caminhão em três propriedades e encaminhados para uma central responsável pela biodigestão.

Atualmente a BGA Köhler comercializa a energia oriunda do biogás para a iniciativa privada. A usina atua com 70% de sua capacidade, mas a expectativa é que nos próximos três meses possam atingir 100%. A produção deve ser de 45 mil KW/hora mês que correspondem ao consumo estimado de 150 moradias com quatro pessoas.


ENTRE RIOS DO OESTE tem projeto implementado pelo município

Na cidade de Entre Rios do Oeste a Deputada conheceu um projeto que foi implantado pelo poder público. A Prefeitura Municipal contou com o suporte da Cibiogás e da 3DI Engenharia. Além das propriedades, puderem conhecer a central de distribuição que gera energia capaz de abastecer 66 prédios públicos, como escolas, postos de saúde e secretarias.

Inédito no país e que pretende “zerar” a conta de energia da prefeitura, o projeto foi lançado em 2015 e tem como parceiros o Centro Internacional de Energias Renováveis (Cibiogás), o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), a Companhia Paranaense de Energia (Copel) e o Governo do Estado do Paraná.

Com custo de R$ 17 milhões e construção de 22 km de gasodutos, a usina deve produzir 250 Megawatts-hora (MWh) de energia por mês. Os custos com a instalação dos biodigestores foram arcados pelos produtores rurais. Nesta primeira etapa, 18 produtores fornecem a matéria-prima para a produção do biogás: 215 toneladas por dia de dejetos de 40 mil suínos. A energia produzida na central remunera os produtores, que também utilizam em suas próprias propriedades o biofertilizante, subproduto do processo.


Ganho social e ambiental

A deputada Zilá reforçou os benefícios dos biodigestores. “Além de ativos financeiros, o impacto ambiental é visível. A destinação correta dos dejetos traz lucro para o produtor rural e menos despesa para o ente público a partir da geração de energia limpa sem denegrir o meio ambiente. Nestas visitas encontramos modelos diferentes dos projetos implementados no Rio Grande do Sul. No Paraná, os projetos apresentam uma alçada maior, com algumas tecnologias de agitação operacionalizada, por exemplo, com modelos de parcerias entre entes públicos e privados, abrangendo um número maior de destinação final”, conclui Zilá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *