Deputada Zilá visita sistema biodigestor em Farroupilha

2 meses atrás
252 Views

Engajada em fomentar a matriz energética dos biodigestores no Rio Grande do Sul, a Deputada Zilá Breitenbach esteve em Farroupilha no último sábado (28) onde visitou a Fazenda Trevisan, propriedade de gado leiteiro que possui um dos maiores biodigestores do Estado.

O sistema instalado na Fazenda conta com três equipamentos que geram em torno de 2 mil metros cúbicos de biogás por semana, resultando em 4,5 megawatts-hora (MWh), o suficiente para abastecer 15% da propriedade que é pioneira na produção de Leite Tipo A no Estado.

Mais do que a produção energética, o fator ambiental foi decisivo para a instalação dos biodigestores, conta Osmar Trevisan, proprietário da Fazenda. “Quando iniciamos o empreendimento havia uma preocupação muito grande com a quantidade de dejetos gerados e como tratá-los. Os biodigestores se apresentaram com uma ótima solução”.

A deputada Zilá é idealizadora do Grupo de Trabalho que desde 2017 reúne os diferentes atores da cadeia produtiva de proteína animal, entidades públicas e privadas, e instituições de pesquisa. O resultado desta mobilização foi a construção do documento conceitual (Programa Pró Biodigestores) que foi entregue ao Governo do Estado e que agora tramita na Assembleia Legislativa como Projeto de Lei para a criação do Marco Legal do Biogás no RS.

Como presidente da Frente Parlamentar da Matriz Produtiva dos Biodigestores, Zilá é otimista com relação ao cenário gaúcho de produção de biogás. “Enquanto aguardamos a aprovação do Projeto que cria a política estadual de incentivo a geração e utilização do biogás e biometano, estamos buscando aprofundar nossas experiências. Tenho participado de eventos temáticos e visitado propriedades com sistemas instalados para conhecer melhor a realidade dos nossos produtores e contribuir com a promoção do saneamento rural e consequentemente a expansão da capacidade produtiva”, ressalta a parlamentar.

Entre os objetivos do marco legal está o de incrementar, em bases econômicas, sociais e ambientais, a participação do biogás e do biometano na matriz energética estadual. “A renovação da energia gerada, oriunda dos resíduos, irá estabelecer um novo patamar na força do campo e do agronegócio, sem deixar de lado todo o impacto ambiental e inovador para o nosso futuro”, destaca Zilá.

Para saber mais sobre o Projeto RS Gás clique aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *