Comissão de Saúde e Meio Ambiente da ALRS fez visita técnica em mineradora de carvão para avaliar impactos

3 semanas atrás
30 Views

Deputados, assessores parlamentares, jornalistas e funcionários da empresa Copelmi Mineração fizeram um tour na quarta-feira (05) para conhecer as operações envolvendo a exploração de carvão no Estado. Em visita técnica às minas da empresa, que é proponente do projeto da Mina Guaíba a ser instalada entre Charqueadas e Eldorado do Sul, o grupo recebeu informações sobre o processo de informação e os possíveis impactos do empreendimento.

Durante o trajeto de ônibus que partiu da Assembleia Legislativa, técnicos da empresa apresentaram dados e explanaram sobre o processo de mineração respondendo a questionamentos dos parlamentares. A primeira parada foi na Mina B3, em Butiá, onde funciona uma unidade mineradora a céu aberto. Ao lado da cava com cerca de 50 meros de profundidade, os técnicos seguiram com as explicações sobre o uso de tecnologia e as medidas de controle ambiental, a segurança e saúde ocupacional dos trabalhadores, e a preocupação com as populações vizinhas.

O roteiro incluiu uma visita à área recuperada da Mina Butiá Leste, cuja operação ocorreu entre 1987 e 2009, e que passou por uma recuperação ambiental. Conforme os técnicos da empresa, o método de extração adotado permite o retorno da capacidade produtiva da propriedade após a reposição dos materiais que estavam sobre o carvão, na mesma ordem de empilhamento original na natureza.

A deputada Zilá Breitenbach (PSDB), presidente da Comissão, ressaltou a importância de qualificar o debate sobre o assunto. “Nós queremos esclarecer a toda a população este tema e esta visita serviu para colhermos mais informações. Posteriormente faremos os debates que competem à Assembleia no sentido de contribuir para que a produção seja sustentável e não retire investimentos do Rio Grande do Sul”, declarou.

Finalizando a visita o grupo conheceu uma antiga cava de mineração da Copelmi, em Minas do Leão, onde atualmente funciona um aterro sanitário dirigido pela CRVR (Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos). O local recebe cerca de 3,6 mil toneladas de materiais diariamente e produz energia a partir da queima do biogás gerado pelos resíduos.

Participaram da visita também os deputados Valdeci Oliveira (PT), Vilmar Lourenço (PSL), Sebastião Melo (MDB), Gilberto Capoani (MDB), Sérgio Peres (PRB), Franciane Bayer (PSB) e Gabriel Souza (MDB), proponente da visita através da subcomissão que aborda os aterros sanitários no RS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *