Zilá faz reflexão sobre os 87 anos da conquista do voto feminino no Brasil

6 meses atrás
123 Views

No último domingo (24) foi comemorado no país os 87 anos do direito ao voto pelas mulheres, assegurado no Código Eleitoral Provisório Nº 21.076 de 1932, após intensa campanha nacional. A deputada estadual Zilá Breitenbach (PSDB), vice-presidente do Fórum de Mulheres da UPM (União de Parlamentares do Mercosul) e vice-presidente da Assembleia Legislativa do RS, fez menção a data chamando atenção para as conquistas femininas, mas também sobre o desafio de aumentar a representatividade feminina nos cargos eletivos.

“Temos muitas conquistas para comemorar, porém ainda muito a alcançar. Nossa representação nos cargos executivos e legislativos ainda é baixa, assim como em outros cargos de poder. Estamos presentes em grande número no meio educacional, no mercado de trabalho e dirigindo projetos sociais nas mais diversas áreas. Porém ainda no meio político temos pouca representatividade e não estamos presentes nos cargos diretivos, e em especial nas siglas partidárias. Queremos aumentar a representatividade feminina na política”, explica Zilá.

A tucana, que já foi prefeita e vice-prefeita em Três Passos, presidente do PSDB/RS por 3 anos, e procuradora adjunta da Procuradoria da Mulher da ALRS, defende propostas para que existam cotas garantindo a presença das mulheres nos poderes legislativos.

“Hoje temos uma lei que determina a participação mínima de 30% de mulheres nas listas de candidatos de todos os partidos. Porém, devido à falta de espaço e a dificuldade de inserção nesta área, muitas siglas acabam usando o sexo feminino apenas para cumprir a legislação, sem dar as candidatas o apoio necessário para elas terem chances de serem eleitas”, enfatiza.

A deputada destaca que a data deve ser refletida por todas as mulheres. “Além do 24 de fevereiro, devemos aproveitar o mês de março, para organizarmos nossas comunidades com eventos do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março, e debatermos sobre igualdade de gênero. Incentivarmos e apoiarmos propostas que buscam inserir cada vez mais as mulheres em todos os ambientes profissionais, pensar sobre os espaços que estamos deixando de ocupar, e agirmos para que sejamos mais presentes na política”, finaliza a tucana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *