SUSTENTABILIDADE: Lançada Frente Parlamentar de Apoio à Matriz Produtiva dos Biodigestores na Assembleia Legislativa

2 meses atrás
25 Views

30848334_1242948115838356_8074927150119813098_oNa manhã desta quinta-feira (26) foi lançada a Frente Parlamentar em apoio Matriz Produtiva dos Biodigestores, durante audiência pública sobre o tema e realizada no Plenarinho da Assembleia Legislativa do RS, através da Comissão de Agricultura.
A representatividade do evento comprova a importância do assunto em debate, e o interesse de todos os segmentos em participar do programa que está sendo proposto a fim de melhorar a eficiência na gestão de resíduos, inicialmente no meio rural, estendendo-se após para a área urbana.

“Algumas questões entravam o uso dos biodigestores: a falta de uma tecnologia que se aplique a realidade dos gaúchos, a segurança para que o agricultor tenha um custo-benefício satisfatório, linhas de créditos acessíveis e principalmente uma capacitação adequada para o manejo da tecnologia”, explica Zilá, falando sobre as reuniões do Grupo de Trabalho que estuda o tema e pesquisa alternativas desde 2017 sob sua coordenação.

Segundo a parlamentar, este é o diferencial deste trabalho pioneiro no RS, a união do setor produtivo (agropecuário, cooperativo e industrial privado), instituições de geração e difusão do conhecimento tecnológico e social (instituições de ensino superior e técnico), entidades e órgãos do poder executivo estadual e federal, além de bancos de fomento e a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura).

“A pesquisa, a articulação institucional e o crédito específico necessitam da atenção do poder público. Por este motivo lançamos hoje a Frente Parlamentar, que é mais um apoio ao Grupo de Trabalho, através dela vamos sugerir legislação específica na área, auxiliar na fiscalização da execução e, acompanhar a efetiva redução das dificuldades no setor produtivo com a implantação da tecnologia da biodigestão”, explica Zilá.

O presidente da Comissão de Agricultura, deputado Adolfo Brito, em nome dos parlamentares que fazem parte do colegiado, reforçou que a Comissão está apoiando o projeto do grupo de trabalho, e irá auxiliar na articulação institucional para que os resultados cheguem até os agricultores.

A secretária de Minas e Energia, Suzana Kakuta, informou que algumas demandas do GT já estão sendo analisadas pelo Governo, estimulando ainda mais a formatação de um programa de estado. “Se um dia não deu certo o biodigestor, agora vai dar!”, emendou com entusiasmo a reitora da Uergs, Arisa Araújo da Luz, falando sobre o empenho de todos os envolvido no GT para que o projeto dê certo, afirmando que a pesquisa feita em conjunto das universidades e industrias tem tudo para prosperar.

O empresário Nelci Bakof, industrial que produz biodigestores deu a seguinte mensagem: “a iniciativa privada não vive apenas de lucros, mas também do bem-estar da comunidade em que está inserida e no engajamento de todos é que está o segredo para alcançar as soluções”.

REPRESENTATIVIDADE
Deputados da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa; Secretarias estaduais de: Minas e Energia; Agricultura; Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia; Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo; Associação de Criadores de Suínos do RS; Sindicato das Indústrias de Suínos, UERGS – Universidade Estadual do Rio Grande do Sul; FEPAM – Fundação estadual de Proteção Ambiental, FIERGS, FARSUL, Associação Brasileira de Biogás e Biometano, EMATER/RS, FAMURS, IBAMA, Ministério da Agricultura, BADESUL, BRDE, UNIJUI, UNIVATES, Faculdades de Horizontina, Soc. Educacional Três de Maio, PUC/RS, CREA/RS, Conselho de Consumidores de Energia de Ijuí, Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos (CRVR), Comitê de Bacia Hidrográfica Taquari-Antas, Secretários Municipais de Agricultura, Cooperativa Languirú, Bakoftec, Fockink; Assessorias da Senadora Ana Amélia Lemos e de outros parlamentares; Consultores e Ativistas e estudantes de ensino superior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *