Zilá comemora investimentos de R$ 205 milhões para as rodovias gaúchas

9 anos atrás
48 Views

A governadora Yeda Crusius autorizou, nesta segunda-feira (21), no Palácio Piratini, o início e reinício de obras em dez rodovias gaúchas, que somam investimentos de R$ 205 milhões. As obras vão melhorar os acessos municipais, o escoamento das safras agrícolas e o tráfego de veículos. Yeda também assinou 38 convênios com 37 municípios para construção, pavimentação de vias municipais e outras obras viárias. Os recursos chegam a R$ 45,5 milhões. Conforme a deputada Zila Breitenbach (PSDB) “asfalto é sinônimo de desenvolvimento. O ‘novo jeito de governar’ de Yeda Crusius proporcionou a realização de sonhos de muitas comunidades que há anos aguardam por asfalto. Os recursos para essas obras só foram possíveis devido à conquista do déficit zero e o Orçamento Realista, que permitiram o aumento dos investimentos estaduais. ”
Yeda citou a RSC-392, entre Tupanciretã e Santa Tecla, que terá 45,5 quilômetros pavimentados. Na rodovia, o governo gaúcho vai investir R$ 50 milhões. A estrada servirá para o escoamento da safra, já que Tupanciretã tem a maior área plantada de soja no Estado.
Zila ainda destacou que todas as obras iniciadas durante o governo não tiveram paralisação e estão com os pagamentos em dia. O diretor-presidente do Daer, Vicente Pereira, disse que empreendimentos nas rodovias vão desenvolver os municípios. Em referência ao slogan utilizado pelo ex-presidente Juscelino Kubitschek, enfatizou: “Na área rodoviária, o governo Yeda é 500 anos em quatro anos”.

Os acordos firmados com as prefeituras são considerados pela atual administração estadual um importante instrumento para o desenvolvimento do sistema rodoviário gaúcho. Já estão em andamento 19 convênios. Os 38 assinados nesta segunda-feira contam com recursos previstos no Orçamento do Estado. A meta é que, até o final do primeiro trimestre de 2010, estejam em andamento 150 convênios.

Confira as obras rodoviárias previstas:

· Pavimentação do acesso à Linha Sertorina (RSC-453)
Colocação de canteiro central e alargamento das pistas da rodovia, em extensão de 500 metros. Duplicação da pista com execução de dois laços de retorno. Esse tratamento do acesso possibilitará locais seguros para conversão aos veículos que ingressam na Linha Sertorina. O valor contratual é de R$1,05 milhão.

· Reformulação do trevo de acesso a Carlos Barbosa (RSC-470)
Colocação de canteiro central e alargamento das pistas da rodovia, em extensão de 600 metros. Duplicação da pista com execução de dois laços de retorno. Esse tratamento do acesso possibilitará locais seguros para conversão aos veículos que ingressarem em Carlos Barbosa. O valor contratual é de R$ 2,37 milhões. Trata-se do início da duplicação da RSC-470 entre Carlos
Barbosa e Bento Gonçalves, que será licitado a partir de janeiro de 2010.

· Pavimentação da ERS-332 (Não-Me-Toque/ Lagoa dos Três Cantos)
A importância da rodovia está no escoamento da produção agrícola (soja, milho e trigo), na ligação das regiões com polos industriais e turismo e na ligação regional entre o Planalto Médio e o Vale do Taquari. O trecho de obra entre Lagoa dos Três Cantos e Não-Me-Toque é de 12 quilômetros, e o valor contratual, de R$ 7,3 milhões.

· Pavimentação da ERS-403 (Cachoeira do Sul a Rio Pardo)
Esta rodovia totaliza 10,70 quilômetros de extensão pavimentada e 51,55 quilômetros não-pavimentados. A importância da ERS-403 está no escoamento da safra e da produção primária. Esta obra facilitará o deslocamento entre regiões do Estado, o transporte da produção de Norte a Sul desde a ERS-481, em Cruz Alta, descendo pela ERS-400 (de Sobradinho a Candelária) e pela
ERS-410. Em Cachoeira do Sul/Rio Pardo, será viabilizada a conexão intermodal (rodovia-portos). O valor contratual do trecho Cachoeira do Sul ao entroncamento com a ERS-410 é de R$ 28,17 milhões e do trecho do entroncamento com a ERS-410 ao entroncamento com a BR-471 (Rio Pardo) totaliza R$ 19,27 milhões.

· Pavimentação da RSC-392 (trecho: Tupanciretã – Santa Tecla)
O trecho de obra entre Tupanciretã – Santa Tecla é de 45,57 quilômetros, e o valor contratual, de R$ 50 milhões. Possibilita a ligação entre dois grandes eixos logísticos, ligando o Noroeste do Estado à região de Santa Maria como alternativa ao eixo formado pela BR-285, ERS-142 e BR-158. Tupanciretã possui a maior área plantada de soja do Estado, com 137,5 mil hectares.
Assim, a rodovia servirá para o escoamento da safra, reduzindo o custo de transporte. Ainda serve de alternativa para deslocamento de passageiros entre a região da Produção e a Fronteira Oeste, pela RSC-377.

· Pavimentação da ERS-305 (entre Padre Gonzales – Criciumal – Horizontina e de Humaitá a BR-468)
Contribui para o desenvolvimento da agricultura, principal atividade dessa região, e serve como interligação dos municípios de Tuparendi e Tucunduva até Horizontina. É também uma opção de ligação entre as rodovias ERS-344 e ERS-342, muito importantes para a região. A obra contribuirá para o escoamento de produção da John Deere S/A, em Horizontina, uma das
maiores fábricas de implementos agrícolas do país. A pavimentação está constituída de dois trechos: entroncamento com a ERS-342 (para Horizontina) ao entroncamento com a ERS-207 (Crissiumal), com 36,48 quilômetros, e o entroncamento com a ERS-207 (Crissiumal) ao entroncamento com a BR-468 (Três Passos), com extensão de 23,95 quilômetros.

· Pavimentação da RS-020 (Cambará do Sul – RSC/285 (p/ São José dos Ausentes)
O trecho da obra, com valor contratual de R$ 40,40 milhões, totaliza 40,90 quilômetros. Grande potencial turístico na região, São José dos Ausentes é a cidade mais alta e mais fria do Rio Grande do Sul, sendo comum no inverno registrar temperaturas negativas, nevascas e grandes geadas, cobrindo com um manto branco os Campos de Cima da Serra. Cambará abriga dois Parques
Nacionais, o Aparados da Serra e o Serra Geral, que somam aproximadamente 27 mil hectares de áreas conservadas, com cânions, rios, cachoeiras, florestas de araucárias e cordilheiras. Além disso, há uma forte presença da indústria de celulose (Celulose Cambará), com grande escoamento de produção: responsável por 95% da arrecadação da indústria do município de Cambará do Sul.

. Pavimentação da ERS-330 (acesso a Derrubadas)
O trecho que inicia em Derrubadas e se estende até o entroncamento com a RSC-472 (para Tenente Portela), com 15,25 quilômetros de extensão, faz parte do Projeto de Pavimentação Turística. O potencial turístico da região está no Salto do Yucumã, localizado no Parque Estadual do Turvo, a maior queda d’água longitudinal do mundo, com 1.800 metros de extensão nas águas do rio Uruguai. O Parque Florestal Estadual do Turvo, com área de 17.492 hectares, ocupa quase 50% da área do município de Derrubadas. O valor contratual é de R$ 12,8 milhões.

· Pavimentação do acesso a Carlos Gomes (ERS-477)
Diminui a distância entre Erechim e a região Nordeste (São João da Urtiga, Sananduva, Paim Filho e Maximilano de Almeida) e facilita o acesso a Lagoa Vermelha. Os aterros da ponte sobre o rio Ligeiro (travessia que hoje é feita por balsa) também estão incluídos nesse contrato. A ponte sobre o rio Ligeiro, localizada na ERS-211, entre Carlos Gomes e São João da Urtiga, com
extensão de 191 metros, está concluída desde julho deste ano. O valor contratual é de R$ 11,96 milhões. A importância da obra está também no escoamento da produção agrícola (soja, milho e trigo).

· Pavimentação da ERS-218 (Catuípe – Santo Ângelo)
Esta rodovia contribui para o desenvolvimento da agricultura, principal atividade da região, e serve como rota alternativa para a ligação dos municípios de Santo Ângelo e Ijuí. O trecho de obra é de 27 quilômetros, com valor contratual de R$ 23,14 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *