Zilá acompanha prefeitos e vereadores em reunião da suinocultura em Brasília

9 anos atrás
25 Views

A deputada Zilá Breitenbach (PSDB) esteve participando em Brasília, acompanhada de alguns prefeitos, vereadores e representantes da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS) da audiência da suinocultura com o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, na terça-feira, 18. Conforme Zilá, as dificuldades enfrentadas pelos suinocultores gaúchos e a necessidade de renegociação de suas dívidas de investimento e custeio foram o assunto principal da reunião. “Entre as reivindicações entregues ao Ministro estava o pedido para a prorrogação das dívidas de custeio por cinco anos, com a concessão de um ano de carência e seu pagamento através de cinco parcelas anuais e a ampliação da linha de crédito.”

Em todo o Brasil, as dívidas dos suinocultores chegam a R$ 550 milhões. Apenas no RS, o setor possui um débito de R$ 100 milhões junto aos bancos. “Necessitamos de atitudes emergenciais, porque sem auxílio os produtores não terão mais fôlego para manter sua atividade”, afirmou o presidente da ABCS, Irineu Wessler. Além do alongamento do passivo, Wessler solicitou a inclusão da suinocultura no Programa de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). Também foi requisitada a abertura de linha de crédito de retenção de matrizes, no valor de R$ 500,00 e limite de R$ 500 mil por produtor.

Os produtores também lembraram que as medidas são ainda mais necessárias em um momento em que os preços pagos pela carne estão estagnados, devido aos problemas criados pela Gripe A (H1N1). De acordo com o presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (ACSURS), Valdecir Folador, desde maio o valor pago aos produtores, que estava em crescimento, mantém-se agora estável em cerca de R$ 1,80 o quilo.
Conforme o Ministro Stephanes, todas as questões serão levadas à área econômica em reunião amanhã, mas adiantou que há uma dificuldade na adoção de um preço mínimo para a suinocultura e que não vê, a curto prazo, como aumentar o mercado consumidor da carne de porco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *