Empresários de Cachoeira do Sul querem usar a hidrovia para transportar suas cargas

10 anos atrás
46 Views

A deputada Zilá Breitenbach (PSDB) acompanhou na tarde dessa terça-feira, 26, a comitiva de empresários de Cachoeira do Sul em audiência na Secretaria de Infraestrutura e Logística. Recebidos pelo secretário-adjunto, Adalberto Silveira Netto e o diretor-superintendente da Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH), Gilberto Cunha, foi solicitada a viabilidade da via fluvial entre Cachoeira – Porto Alegre pelo rio Jacuí. Conforme a deputada Zilá, “isso ajudaria a desafogar o trânsito da BR 290 e com isso também diminuiria o custo do produto porque o que encarece é o frete cobrado pelo transporte através dos caminhões.”

Conforme informações dos empresários, que solicitaram condições para navegação no rio Jacuí como sinalizações com bóias, se somente uma das empresas de Cachoeira usasse a hidrovia, em um mês, cerca de 30 mil toneladas de seus produtos seriam deixados de passar pelas estradas gaúchas.

O secretário-adjunto Adalberto Silveira Netto informou que há projetos para começarem a usar a hidrovia e tentar recuperar o tempo perdido. “Vamos identificar todos os problemas. Se os empresários querem usar a hidrovia estamos dispostos a retirar as cargas das estradas. A Superintendência de Portos e Hidrovias vai criar uma força tarefa para isso. Hoje, a cidade de Cachoeira do Sul é a cidade que mais tem possibilidade de crescer.”

Participaram da reunião, além da deputada Zilá Breitenbach (PSDB):
Fabio Alves – da empresa Cereais Araguaia;
Juvir Mattuella, presidente da CESA;
Kurt Löwenhaupt, da Coriscal;
João Paulo Antoniazzi de Moraes, da Coriscal;
João Engel, da divisão administrativa da Granol;
Armando Hiroshi Moriya, da Granol;
Atiço Scherer, diretor da Trevisa;
José Luiz Fay de Azambuja, superintendente da administração das hidrovias do sul do Ministério dos Transportes;
Luiz Carlos Oliveira, diretor da CESA;
Gilberto Cunha, diretor-superintendente da SPH
Antonio Carlos Pasqualini, assessor da deputada Zilá

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *