Granol

11 anos atrás
182 Views

O Governo do Estado mandou no final do mês de março, a excelente notícia para o futuro do desenvolvimento de Cachoeira do Sul. O assessor técnico da Secretaria Estadual de Infra-estrutura e Logística (Seinfra), Eduardo Krause, entregou um documento assinado pelo secretário Daniel Andrade ao gerente da Granol, Armando Hiroshi, oficializando a cedência dos 20 hectares que eram pleiteados há mais de dois anos pelas gigantes Granol/Grandiesel. Conforme a deputada Zilá Breitenbach (PSDB), que intermediou as negociações, com isto, a Granol está liberada para instalar-se junto à área do Porto do Rio Jacuí.

Outro apoio da deputada Zilá, foi a liberação junto a Caixa RS de R$ 1,7 milhão. A verba será destinada para a pavimentação asfáltica da estrada de acesso à Granol, trecho de 1,3 quilômetro.

Com 40 anos de atividade, a Granol é um dos maiores complexos de agronegócios genuinamente brasileiros. São cinco unidades industriais, 17 regionais de compra e armazenagem de grãos, um terminal marítimo e outro fluvial, além da matriz em São Paulo. A empresa exporta para diversos países, utilizando sua Unidade Portuária de Vitória, no Espírito Santo, assim como o Porto de Santos (SP) e o Porto de Paranaguá (PR). A unidade cachoeirense de produção de biodiesel, a Grandiesel, é a planta mais moderna e com maior capacidade de produção, em operação, autorizada no Brasil pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). A Granol é a maior conquista de Cachoeira do Sul na última década. A empresa ressuscitou o complexo da Centralsul, que estava desativado há mais de 20 anos, e estabelece-se como o grande símbolo da retomada do crescimento no município. Em pouco mais de um ano a Granol já gerou a usina de biodiesel Grandiesel, movimentando a área de cerca de 20 hectares com obras que triplicaram a área construída originalmente da Centralsul. O investimento já passa dos R$ 70 milhões.

A capacidade de industrialização da soja da Granol para este ano deve ultrapassar as 500 mil toneladas ao ano, gerando cerca de 120 mil toneladas de óleo bruto/ano e uma média de 480 mil toneladas de farelo de soja. São cerca de 1,5 mil toneladas de soja esmagadas ao dia. Ainda nos planos futuros da Granol está a implantação de refinaria e envasamento de óleo de soja, com capacidade inicial de 100 mil toneladas de embalagens ao ano, para 2009, conforme acertado no protocolo de intenções com o Governo do Estado. No entanto, a implantação ainda depende dos incentivos do Estado e da decisão da diretoria da empresa. Toda esta produção movimenta mais de 100 carretas por dia no complexo, isto sem mencionar a Grandiesel, a maior usina de biodiesel em capacidade de produção operando no Brasil, 140 milhões de litros do biocombustível ao ano.

Somente a Granol, na sua indústria de beneficiamento de soja, emprega cerca de 150 funcionários, além de mais 100 contratados pelas empresas que prestam serviço terceirizado de engenharia, infra-estrutura e construção. Um dos problemas que os dirigentes da Granol ainda reclamam é a falta de mão-de-obra especializada em Cachoeira do Sul.

A Grandiesel, usina de biodiesel cachoeirense com a maior capacidade de produção operando no Brasil, tem aporte para produzir 140 milhões de litros do biodiesel ao ano. No último leilão, a Grandiesel vendeu 30 milhões de litros do biocombustível para o Governo Federal para serem entregues neste ano. Pelo menos 15 milhões já foram produzidos em Cachoeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *